quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Morre-se de imaginação?

Se você acredita no monstro imaginário e ele te arranca a cabeça, você morre? E o medo? Só o medo da quimera, mata? E se não se falece pelo susto, se aguenta mesmo molhado, o ataque inevitável é fatal? Ou é no fim, quando o trem fantasma passa por mim, mesmo que eu creia nele, que as leis da física me protegerão? E, então, foi só um pesadelo. Será? Não sei se vou descobrir, nos filmes em que dois carros vão de encontro, de frente, para saber quem é o mais valente, eu sempre acabo desviando.

Nenhum comentário: