quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Confinado

Tenho ficado trancado, mas temo que as paredes não sejam suficientes para me conter. Talvez eu precise de uma gaiola, uma corrente que evite eu me esparramar pelas laterais da cama, entre os ladrinhos, pelas frestas da janela, pelas laterais do prédio, escorrer pela rua, pelos telhados vizinhos, que impeça que os outros vejam o líquido negro que me tornei.

Um comentário:

Bia Bernardi disse...

Que tédio seria encontrar um lugar que não tivesse a sombria presença de liquidos negros que vagassem livres por aí...