segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

entre o natal e o carnaval

ando me sentindo deslocado. é como se meu corpo não se encaixasse no espaço entre o ar e as coisas. meus pés fossem largos demais para o caminho e eu tropeçasse no nada, assim, o tempo todo. nem meu batimento cardíaco tem me confortado, como se errasse as veias, ou pensasse demais na hora de diferenciá-las das artérias. até os dedos no teclado parecem buscar um alfabeto desconhecido, se perdendo entre o ponto e a palavra. sinto um deslocamento entre as camadas dos universos paralelos, como se todos os desdobramentos de mim estivessem embaralhados e confusos, estanques num tempo comum. preenchidos de uma bolha de ácido no estômago. e minha única salvação são as moscas, ou os rodamoinhos de lixo, que ainda me distraem.

Um comentário:

Laura Fuentes disse...

Não se perca nessa bolha entre o Natal e o Carnaval. Nem que seja preciso se bater em todos os cantos, se faça presente.