sexta-feira, 4 de julho de 2008

Nasceu!

Nunca um verbo no pretérito, uma palavrinha, carregou tanto significado: nasceu!
Assim, a cheios pulmões, bradado por mim à rouquidão: nasceu!
Minha filha, minha menina. A filha, a menina. Um caleidoscópio de infinito que carrega um pouco de tudo na imensidão de sua novidade.
Seu nome será comum aos meus pensamentos, aos meus suspiros e às minhas preocupações. Um novo nome que substitui a importância de todos os outros e minha mãe, minha esposa, os santos todos ganham alguém que lhes estará concorrendo em preferências e carinhos, alguém que se pôs na primeira posição da fila. Um mote às minhas narrativas, uma leitora dos meus desvarios.
Se posso descrever como foi? Não. Assistindo ao parto eu pensava em motéis, em como as coisas começam e terminam em gemidos e quando vi o sangue e o empurra! eu perdi o ar e morri e renasci num grito ardido, um fôlego que me devolveu o suspiro.
Os olhos procurando entender, tão puxados e dados ao mundo e a cada um de seus contornos que nos convencemos a acostumar com cada uma de suas cores, que aceitamos não nos deslumbrar mais. Eu a invejei por poder descobrir tudo de novo, como muitos já fizeram, mas como nunca ninguém o fará. Do seu jeito, todo. E me deslumbrei por ser, por um tempo, a vela que iluminará alguns cantos.
E no primeiro toque eu me senti o criador do universo quando a minha voz fez o seu silêncio, a minha voz trouxe a paz e esta sensação deve ser o que faz Deus ser.
E procurei naquela fisionomia amassada a minha genética e o seu futuro e nas lágrimas me redimi por não oferecer mais do que ela me oferecia, tão pequena ia além do que jamais eu chegaria.
Ganho um novo nome, talvez um dos títulos mais antigos e poderosos do mundo, afinal até mesmo os reis respeitavam a natividade de seus vassalos, eu sou Pai e agradeço isso à minha filha.
Beijos (minha vez de trocar a fralda)

11 comentários:

Veneranda Pedroza disse...

Parabéns Claudio!!!
Sei como é único esse momento e as suas palavras traduzem exatamente esse nascer. O nascer da sua pequena e o nascer do Claudio, Pai.
Felicidades nessa nova trajetória e acredite, ela será a mais fantástica e especial de toda a sua vida!
Abraços

eternalcell disse...

Agora começa sua jornada. Parabéns e felicidades!
Deus abençoe vocês!

Ricardo Delfin

Helena disse...

Uma menininha linda que veio para trazer ainda mais amor a vc e à tua esposa... Parabéns!!!!!
Grande beijo a vcs três!

Ademir Pascale disse...

Parabéns, Cláudio! Fiquei emocionado ao ler seu texto e imaginando que um dia eu também sentirei essa agradável sensação de ser pai.

Um forte abraço meu amigo,

Anônimo disse...

Pá-Pá-Pá-PAIRABÉNS!!!!

Abarassssssão

Brãontops

Tyr Quentalë disse...

Cláudio,
A alegria de ser Pai ou mãe, assim que vemos o filho em nossos braços pela primeira vez, é esta sensação toda que você descreveu tão bem em suas linhas. Que suas alegrias se multipliquem!
Parabéns! Pois nesse dia 4 de Julho és Rei, Monarca, és Pai!

Abraços da Andarilha,
Rúbia Cunha!

Bode disse...

Claro, claro, às maravilhas os proéicos poderes daqueles que serão, ao meu ver e sem dúvida, os melhores pais da Nova Era... Nunca ninguém foi tão esperado. Como dito anteriormente, em um momento crucial da nossa parca história do mundo, à ela a Mirra, o Incenso e o Ouro: sempre. Amo vocês e amarei Ana Luisa... Agora, não penso em outra certeza com tanto afinco...
Um beijo, ou melhor, três.
Do Bode.

Ebbios disse...

Parabéns Sr. Claudio "Zed-Papai-embasbacado-feliz" Brites!!

Kizzy Ysatis disse...

Um texto primoroso para um momento inesquecível; mas é claro que é primoroso: tem tudo de inédito e ao mesmo tempo repetido; tem tudo de comum e ao mesmo tempo extraordinárido porque é o seu comum. Tem tudo de verdade porque é honesto. Tem tudo de maravilhoso porque é amor feito de amor do amor-feito.

Brindemos a isso caro amigo-irmão-amante.

Quem leu seu texto e já passou pelo mesmo evento, endossa; quem não passou, diviniza por se saber fantasia.

Assim sem me entender sinto-me tio, avô e neto.

Guarde o texto para ela e todos os comentários de hoje-outrora-parassempre.

Leandro "Radrak"" disse...

Parabéns cara! Muito bom o texto, é algo para você guardar e mostrar a ela, em seu níver de 15 anos.
Q legal! Parabéns mesmo!

Claudio Brites disse...

Valeu pessoal, valeu mesmo pelos bons desejos e coisa e tal. Muito. Assim como o texto, guardarei as palavras de cada um de vocês.
Abraços, muitos!