quinta-feira, 11 de junho de 2009

Queimem os livros!

Depois do que aconteceu com as Hqs e com o poema do Joca Terron eu pensei e considero que a literatura, concordo, deveria ser proibida, assim como a maconha.
teríamos, então literatura sendo traficada nos becos, que, convenhamos, é o lugar dela.
as pessoas se cutucariam quando vissem um roda de leitores na praça.
atravessariam a rua e abaixariam a cabeça.
escritores no bar seria motivo de blitz de charutos e ternos risca de giz.
concordo que a literatura deveria ser expurgada de todas as escolas.
onde é dissecada e emburrecida. perdida.
ignorada.
então os moleques cabulariam para ler.
cheirar as páginas, cheiro de livro.
para gozar no Cortiço e seus beijos suados.
xingar capitu de putinha dissimulada.
afinal o sexo no livro é muito mais sexo do que na novela.
no livro você volta e volta e re-lê e lê de novo.
vetem. proibam.
não foi assim que os quadrinhos ganharam força?
quando declarados proibidos e marginais?
vetem a literatura e quem sabe transtornamos tordorov e ela saia do perigo eminente de desaparecer.

8 comentários:

Claudia Rangel disse...

concordo!

Brontops Baruq disse...

mui bueno

cariello disse...

queimar livros eu não acho bacana, mas a gente pode combinar de se encontrar pra chutar uns escritores por aí!

Claudio Brites disse...

mestre cariello, que tal torturar os leitores do governo, que analisam os livros?
podemos ler gergório de matos para eles... uma versão literária da dança do colo... rs.

gilson disse...

começa como os livros: depois as pessoas.

hahahahahaha

gui disse...

Eu acho que bons objetos de queima literária poderiam ser os concursos literários e os críticos literários, que julgam a crítica acima das obras publicadas.

gui disse...

Eu acho que bons objetos de queima literária poderiam ser os concursos literários e os críticos literários, que julgam a crítica acima das obras publicadas.

Laura Fuentes disse...

Adorei a idéia. O proibido sempre é mais gostoso...Gostei do texto irado.